Osasco Antiga
Famílias e Personagens Ilustres
HISTÓRIA
BAIRROS
GALERIA FOTOS
MAPAS E DOCUMENTOS
PPS MONTAGEM
VÍDEOS OSASCO
Hagop Garagem informa quantos estão aqui agora

História da Família de Fortunato Antiório

Música Fascinação versão 1

Música Fascinação versão 2

Música Fascinação versão 3

osasco

Dr. Fortunato Antiório

Fortunato Antiório, filho de imigrantes italianos, nasceu em Ituverava, São Paulo, em 29 de maio de 1920.


osasco

Maria Figueiredo Antiório

Nascida em Itajobi, interior de São Paulo, Maria Figueiredo Antiório, entre nós conhecida como Dona Mirinha, criou-se em Catanduva.


osasco

Casamento

Mais tarde, para dar continuidade aos estudos, ela mudou-se para Ribeirão Preto, onde veio a conhecer o Professor Fortunato Antiório, um dos proprietários do Curso que frequentava, com quem se casou em 26 de junho de 1943.


osasco

Professor Fortunato Antiório

No mesmo ano de 1943 mudou-se para Guaxupé e, logo após para Alfenas, Minas Gerais, onde o Professor Fortunato Antiório formou-se em Odontologia.


osasco

Hospital das Damas

Em 1948, Dr. Fortunato, D. Mirinha e o filho José Antonio chegaram a Osasco, um subdistrito da Capital de São Paulo, por indicação do Dr. Newton, que também viera para Osasco, a fim de montar o Hospital das Damas.


osasco

Bar e Café Central
Rua Antonio Agu, 450

Apesar da precariedade do subdistrito, a família nele se instalou num pequeno prédio localizado na Rua Antonio Agu, em cima do antigo Bar Central, onde o Dr. Fortunato também montou seu pequeno consultório dentário. osasco

Bar e Café Central
Rua Antonio Agu, 450



osasco

Máquina de pavimentação
na Rua Antonio Agu em 1951

Naquela época, a falta de lazer aproximava as pessoas e todos os acontecimentos eram comemorados alegremente por aqueles que davam início à Osasco de hoje.

Foi assim com a inauguração do asfalto da Rua Antonio Agu, por exemplo, ocorrida em 1951, quando uma fita foi pomposamente colocada em frente à residência do casal.


Na década de 1950, contagiados pelo movimento que começava a eclodir através da Sociedade Amigos de Osasco, presidida pelo Dr. Reynaldo de Oliveira, também dentista, Dona Mirinha e seu marido, Dr. Fortunato, passaram a lutar pela emancipação político-administrativa do nosso município ao lado de tantas outras personalidades de nossa cidade que sofria com o descaso das autoridades da Capital.

A presença feminina na emancipação de Osasco foi decisiva e Dona Mirinha e seu grupo, integrado por Dona Paulina Melli, Dona Ignes Collino e Dona Adelaide Fonseca Dias, juntavam-se a outras senhoras que compartilhavam do mesmo ideal e participavam de todos os momentos dessa luta, desde a realização dos plebiscitos, das incontáveis idas e vindas à Assembleia Legislativa do Estado, das diversas passeatas, até a definitiva autonomia, iniciada com a eleição do primeiro prefeito de Osasco, Dr. Hirant Sanazar.

osasco

Conquistada a emancipação, o casal passou a dedicar-se mais às obras sociais da Igreja de Santo Antonio, do Centro Social Santo Antonio e do Rotary Clube de Osasco, além das atividades sociais da Associação Atlética Floresta.

Na carta ao lado, um convite do A. A. Floresta para a imprensa assinada pelo presidente Reinaldo de Oliveira e pelo Diretor Social Dr. Fortunato Antiório


Dentre os eventos realizados com sua intensa participação, destacam-se uma avant-premiére no antigo Cine Estoril, diversos bazares beneficentes, concursos de Bonecas Vivas, concursos de Miss Primavera e de Miss Luzes, cujo título coube a Milena Melli, também filha de antiga família osasquense, além dos dois primeiros bailes de debutantes da cidade, cujos paraninfos foram o então Governador de São Paulo, Laudo Natel e o ex- Presidente do Banco Brasileiro de Descontos, Dr. Lázaro de Mello Brandão.

Foi como Presidente do Centro Social Santo Antônio que Dona Mirinha, apesar do delicado momento político pelo qual passava o município, viu coroada a campanha emancipacionista, mesmo após a intervenção à qual o município foi submetido. Assim, no dia 11 de setembro de 1964, fez a entrega de um crucifixo ao interventor, Dr. Marino Pedro Nicoletti. Esse mesmo crucifixo sempre esteve no Gabinete dos demais Prefeitos da cidade.

osasco

Barraca das Bonecas

Até 1971 o casal participava anualmente da quermesse de Santo Antonio comandando a "Barraca das Bonecas" em prol da construção da nova Igreja Matriz, hoje Catedral de Osasco.

Na foto ao lado: Quermesse de Sto. Antônio com Gutemberg Braga, Adelaide Dias, Nair de Salvi, Mirinha e Rosangela Antiório


osasco

Dr. Fortunato Antiório
no Colégio Misericórdia

Foi professor no Colégio Misericórdia e no Seminário São Gabriel onde também exerceu a função de dentista, além de professor no Ceneart.



Na década de 1960, Dona Mirinha e Dr. Fortunato acompanharam de perto a Revolução e os movimentos estudantis que, também em Osasco, marcaram aqueles "Anos Rebeldes".

Dr. Fortunato Antiório, sempre considerado um homem à frente de seu tempo, não hesitou em ceder uma sala do seu consultório para ser a primeira sede da União dos Estudantes de Osasco (UEO).

Por muitos anos o Dr. Fortunato manteve o consultório dentário no mesmo lugar e, mais tarde, como também fosse funcionário público estadual, passou a dedicar-se exclusivamente ao serviço dentário escolar. Foi um dos primeiros dentistas a trabalhar com um consultório ambulante, instalado em uma Kombi, onde fazia atendimento dentário em várias escolas do município.

Após cursar Pós Graduação em Saúde Pública na Universidade de São Paulo, Dr. Fortunato passou a dedicar-se exclusivamente a projetos estaduais de prevenção à cárie dentária e, extremamente religioso, dedicava boa parte de seu tempo livre ao Ministério da Eucaristia, levando a comunhão dominical a idosos doentes em suas casas.

Em 1978, aproveitando-se da experiência em todo o tipo de eventos, o Secretário de Esportes, Recreação Turismo, Prof. Antiório, também contou com a colaboração da mãe, Dona Mirinha, na realização do rememorável concurso que elegeu Sonia Lima Miss Osasco e a colocou entre as dez finalistas do Concurso Miss São Paulo.

Em 1973, como presidente da União Cívica Feminina, D. Mirinha conseguiu que o Prefeito Francisco Rossi cedesse à entidade um prédio que abrigasse sua sede social, onde foram instaladas duas classes de alfabetização de adultos.

Mais tarde, com a extinção daquela entidade, ela, por intermédio de seu filho, pleiteou e obteve do Prefeito Guaçu Piteri, a cessão do mesmo prédio para servir de sede à Ordem dos Emancipadores de Osasco.

Em 1985, já após o falecimento do marido, ocorrido em 14 de março de 1980, D. Mirinha assumiu a presidência da Ordem dos Emancipadores de Osasco, entidade composta por osasquenses que tiveram participação no movimento emancipacionista.

Sempre atuante, não foram poucas as campanhas políticas das quais participou, nunca como candidata, mas sempre como correligionária daqueles que julgava poderem melhor administrar sua querida Osasco. Essa era a maneira de demonstrar seu amor pela cidade.

Foi com muito orgulho que em 1981 Dona Mirinha recebeu o título de cidadão osasquense "in memorian" do Dr. Fortunato Antiório, título esse proposto pelo inesquecível amigo Alfredo Thomaz, pois, embora seu marido também tivesse nascido no interior do Estado de São Paulo, foi em Osasco que ele residiu, construiu sua vida, deitou raízes, retirou seu sustento e foi esta a cidade que o viu fechar os olhos.

Também foi com orgulho que viu que seus exemplos de amor a esta cidade deram bons frutos, pois seus filhos aqui se casaram, constituíram família e se estabeleceram profissionalmente.

José Antonio Figueiredo Antiório, seguindo o exemplo dos pais, sempre esteve engajado na história político-administrativa da cidade, chegando a ocupar várias vezes, em diferentes administrações, o cargo de Secretário Municipal, Presidente de Autarquias e de Fundações Municipais.

Antes disso, porém, trabalhou na Braseixos, ministrou aulas e foi diretor de vários colégios em Osasco, dentre eles o da Vila Campesina e o do Seminário dos Padres Passionistas. Fundou o Colégio Padre Anchieta que, atualmente, é uma das maiores instituições de ensino de Osasco.

Também no Rotary Clube de Osasco, entidade que teve seu pai como um dos fundadores, Antiório se destacou como Presidente, vindo a assumir a Governadoria de um dos Distritos Rotários na década de 1990 e hoje tem papel de destaque no Rotary Clube Internacional.

Casado com Ana Lúcia, Antiório tem quatro filhos: Jô, André, Fernando e Guilherme que, além de também serem rotarianos, o auxiliam no comando do Colégio Padre Anchieta e do Buffet Platinum, de sua propriedade. O casal tem seis netos: Ana Beatriz, Ana Luísa, João Pedro, José Antonio, José Guilherme e Fernando Henrique.

Rosangela Maria Antiório Bernardes iniciou a vida profissional como secretária no Colégio Padre Anchieta. Formou-se professora no Colégio Nossa Senhora da Misericórdia, cursou Pedagogia e Direito e, posteriormente, ao trabalhar no Escritório de Planejamento do Município de Osasco, por influência do então presidente da Autarquia, Angelo Melli, especializou-se em Direito Urbanístico. Após trabalhar em várias Secretarias Municipais, encerrou a carreira no serviço público como Procuradora Judicial do Instituto de Previdência do Município de Osasco e manteve escritório de advocacia na cidade até o ano de 2010.

Foi casada com Trajano Franco Bernardes, que também adotou Osasco como cidade do coração por ter se firmado profissionalmente como professor dos Colégios João Larizatti e Padre Anchieta, da FITO e da Faculdade de Direito de Osasco, além de ter encerrado sua carreira na Magistratura Estadual como Juiz de Direito da Comarca de Osasco. O casal teve dois filhos: Flávio e Marcus Vinicius e os netos Flávio Augusto e Maitê.


SEMPRE ESTIVEMOS À DISPOSIÇÃO DO MOVIMENTO

Publicado no Jornal “A Rua”

Embora tenha nascido interior de São Paulo, poucos anos depois de ter me casado com o falecido Dr. FORTUNATO ANTIORIO, viemos para Osasco em busca de novas chances. Meu marido tornou-se um conhecido dentista na região. Aqui criamos nossos filhos que hoje desempenham suas atividades profissionais com grande sucesso. Mesmo não sendo osasquense de nascimento, me orgulho de ter escolhido Osasco como minha segunda terra natal.

O aspecto de Osasco em 1948, data em que aqui cheguei, era o de um subdistrito abandonado da Capital de São Paulo. Não havia água encanada, iluminação pública, guias, sarjetas, pavimentação, escolas, redes de esgoto etc. Apenas parte da Avenida João Batista e o antigo Largo da Estação, hoje Praça Antonio Menck, possuíam paralelepípedos. Como não existia água encanada, nos servíamos de poços semi-artesianos do "Cotonifício Beltramo" ou da Cerâmica. Existiam apenas três ruas com iluminação pública bastante precária: a Avenida João Batista, a Rua da Estação e a Primitiva Vianco. O esgoto era lançado no que chamávamos de rego, exalando muito mau cheiro, que principalmente no verão, era insuportável, além de provocar doenças em nossos filhos.

Para termos uma idéia do abandono de Osasco, a Rua Antonio Agu, hoje principal artéria de nossa cidade, só foi asfaltada em 1951 e no dia da inauguração, colocamos uma fita em frente à minha casa, que ficava em cima de um dos bares que foi frequentado pela juventude da época do meu filho, o Bar Central. Mais tarde, o Fortunato cedeu seu consultório para ser a primeira cede da UEO - UNIÃO DOS ESTUDANTES DE OSASCO.


O INÍCIO DO MOVIMENTO

Osasco sofria o abandono pelas autoridades de São Paulo, o que fez despertar interesse nas pessoas atuantes de integrarem um movimento que já começava a eclodir através da Sociedade Amigos de Osasco, presidida pelo Dr. Reynaldo de Oliveira e secretariado por Dimas Tavares, dois inesquecíveis emancipacionistas. Esse Movimento levou a mensagem autonomista para rádios de São Paulo.

Fortunato e eu aderimos também a essa luta e nela estivemos até a posse do primeiro prefeito de Osasco.

Participamos de vá rias formas do Movimento: frequentando reuniões, trabalhando em favor do SIM quando dos plebiscitos realizados, indo à Assembleia Legislativa do Estado ao lado dos estudantes nas passeatas que eles organizavam, confortando aqueles que sofriam represálias das autoridades estaduais. Enfim, sempre estivemos à disposição do Movimento.

A FORÇA FEMININA

Participei com várias senhoras do Movimento.

Meu grupo era integrado por Paulina Melli, Ignez Collino e Adelaide Fonseca Dias. Sempre nos juntávamos a outras mulheres como Nair Santa Soares, Aparecida Nicoletti, Nina Marchetti, Maria Menck, Olivinha Batista, Nice Odália, Eda Buzzoni de Oliveira, Idamis Negrelli, Olga Veronesi, Clarice Burjato, entre outras, isso numa época em que ainda não se falava em Movimentos Feministas. Penso que fomos um pouco precursoras delee, não por defendermos nossos interesses pessoais e apenas femininos, mas por nos lançarmos numa luta séria e com fins coletivos, onde a participação da mulher era ainda pífia em nosso país.

Quase todos os dias íamos à Assembleia Legislativa falar com os Deputados para conseguirmos a autonomia. Quando lá chegávamos, fazíamos tanto barulho que eles diziam: "Não se preocupem com o barulho. É Osasco que chegou."

Hoje, se tivesse que fazer tudo de novo, eu estaria com a mesma vontade e com mais experiência porque, apesar de muitos problemas que vive a nossa cidade, sinto que VALEU A PENA e isso é visível se compararmos Osasco a muitos bairros de São Paulo que não tiveram a oportunidade de se emanciparem.

A ORDEM DOS EMANCIPADORES

O objetivo da Ordem dos Emancipadores é o de manter viva na memória do Munic¡pio a luta pela nossa independência. Para que a Ordem não acabe, o direito do autonomista é extensivo aos filhos e netos. Para isso, contamos com o respaldo das nossas autoridades.

MENSAGEM AO OSASQUENSE

Finalizando, quero dizer que nosso povo deve se unir para que nossa cidade, nosso estado e nosso país sejam livres. Por isso, as questões que ora se apresentam, como mudanças nas legislações sociais, processos eleitorais devem ser muito bem pensados para que a igualdade de condições entre os homens se faça cada vez mais presente. Isso só conseguiremos com uma participação ativa na sociedade, alertando nossos representantes no Executivo e no Legislativo para a necessidade de defenderem os nossos interesses e não os interesses daqueles que só desejam continuar no poder a qualquer custo e a qualquer preço.

Só a participação ativa nos garante o poder de optar pelo melhor, sem nos deixarmos enganar por falsas promessas e por formas duvidosas de angariar votos.

Nessa época em que as pessoas tornam-se cada vez mais egoístas, é importante que o povo tenha claro que a solidariedade é um dom de Deus e que o homem público deve colocar os interesses do povo acima dos seus próprios interesses.

No aniversário da cidade, só tenho a dizer: PARABÉNS OSASCO! A SUA AUTONOMIA ɐ HOJE JUSTIFICADA PORQUE O SEU POVO A MERECEU.

Minha Família

Eu
Maria Figueiredo Antiório

Meus Pais
Aparecida Pereira Figueiredo
Antônio Figueiredo

Irmão gêmeo de minha mãe
Melchiades Pereira

Avós Maternos
Osória Juvelina de Paula
João Pinto Pereira

Avós Paternos
Maria Francisca de Jesus
Manoel Figueiredo

Bisavós Maternos
Francisco de Paula
Ana de Paula Alves

Bisavós Paternos
Francisco de Carvalho
Maria Felizarda Cândida

Meus irmãos
Arnaldo Pereira Figueiredo
Wilians Figueiredo

Meus tios paternos
Maria Cândida de Carvalho
Joventino Gomes
Emília Marques
José Albano

osasco

Agradecimentos a Rosângela Figueiredo Antiório por sua prestimosa colaboração com o envio da narrativa histórica e o acervo fotografico que ilustra esta página




Fortunato Antiório era filho de comerciante, nasceu em 29 de maio de 1920, na cidade de Ituverava, onde cursou o primário com distinção.

Mesmo enquanto estudante montou uma escola na rua Amado, da qual se tornou diretor e iniciou sua carreira no magistério.

Em 1942, começou a namorar Mirinha Figueiredo, que era sua aluna da 4° série.

Casaram-se no ano seguinte tendo desta união dois filhos: José Antônio Figueiredo Antiório e Rosângela Figueiredo Antiório.

Na cidade de Alfenas, Fortunato Antiório cursou a Faculdade de Odontologia e Farmácia, passando a fazer jus ao apelido de “Doutor” que lhe dera o pai.

Após sua formatura, lecionou prótese buco facial nesta mesma faculdade.

Iniciou na profissão de dentista em Osasco em 1949, instalando seu consultório na rua Antônio Agu.

Foi presidente da mesa nas eleições para a emancipação do município.


Aos 04:40 minutos desta apresentação O filho José Antonio Figueiredo Antiório, caracterizado de protocolo da côrte, em apresentação realizada no Colégio Misericórdia





Galeria Fotos

Titulo:
foto: 01

Titulo:
foto: 02

Titulo: Bodas de Prata Mirinha e Fortunato Antiório
foto: 03

Titulo: Primeira comunhão da filha Rosangela Antiório na Igreja Matriz de Sto. Antônio Osasco - com Fortunato e Mirinha Antiório, Lourdes e Marcia de Oliveira, Nair Belacosa, Claudia.
foto: 04

Titulo: Mirinha e Dr. Fortunato no Carnaval de 1951
foto: 05

Titulo: O filho José Antonio Figueiredo Antiório caracterizado em apresentação realizada no Colégio Misericórdia
foto: 06

Titulo: José Antonio Figueiredo Antiório caracterizado em apresentação realizada no Colégio Misericórdia
foto: 07

Titulo: A filha Rosangela Maria Antiório caracterizada como bailarina - foto colorida a mão
foto: 08

Titulo: A filha Rosangela Maria Antiório caracterizada como bailarina - foto sépia
foto: 09

Titulo:
foto: 10

Titulo:
foto: 11

Titulo:1a comunhão da filha Rosangela Antiório na Igreja Matriz de Sto. Antônio de Osasco
foto: 12

Titulo:
foto: 13

Titulo:
foto: 14

Titulo:
foto: 15

Titulo:
foto: 16

Titulo:
foto: 17

Titulo:Coroação de Nossa Senhora no Colégio Misericórdia.
foto: 18

Titulo:Coroação de Nossa Senhora no Colégio Misericórdia.
foto: 19

Titulo:Dr. Fortunato e Rosangela no jardim do Colégio Nossa Sra. Da Misericórdia
foto: 20

Titulo:
foto: 21

Titulo:
foto: 22

Titulo:
foto: 23

Titulo:
foto: 24

Titulo:Casamento do filho Antiório com Anã Lúcia - realizado em 26-06-1971 pelo Pe., hoje Monsenhor, Tomáz Raffainer, na Capela do Colégio Nossa Sra. Da Misericórdia
foto: 25

Titulo:Casamento do filho Antiório com Anã Lúcia - realizado em 26-06-1971 pelo Pe., hoje Monsenhor, Tomáz Raffainer, na Capela do Colégio Nossa Sra. Da Misericórdia
foto: 26

Titulo:Casamento do filho Antiório com Anã Lúcia - realizado em 26-06-1971 pelo Pe., hoje Monsenhor, Tomáz Raffainer, na Capela do Colégio Nossa Sra. Da Misericórdia
foto: 27

Titulo:Colação de grau Curso Normal, hoje Magistério, com Rosangela Antiório, o Mestre de cerimônias Fortunato Antiório e Madre Superiora Águeda.
foto: 28

Titulo:Colação de grau Curso Normal, hoje Magistério, com Rosangela Antiório, o Mestre de cerimônias Fortunato Antiório e Madre Superiora Águeda.
foto: 29

Titulo:Colação de grau Curso Normal, hoje Magistério, com Rosangela Antiório, o Mestre de cerimônias Fortunato Antiório
foto: 30

Titulo:Feira Industrial e Comercial de Osasco realizada onde hoje é o Supermercado Extra , em frente ao Floresta, com Fortunato, Mirinha, José e Rosangela
foto: 31

Titulo:Prof. Trajano e Prof. Antiório.
foto: 32

Titulo:Prof. Trajano e Rosangela Antiório.
foto: 33

Titulo:Concurso Bonecas Vivas no Clube Atlético Floresta com verbas revertidas para a Igreja Sto. Antônio com Rosangela Antiório, Rosana Viviani
foto: 34

Titulo:
foto: 35

Titulo:
foto: 36

Titulo:Escola Municipal de Balaidos no Cobraseixos, no Misericórdia e no Floresta
foto: 37

Titulo:Escola Municipal de Balaidos no Cobraseixos, no Misericórdia e no Floresta
foto: 38

Titulo:
foto: 39

Titulo:
foto: 40

Titulo:
foto: 41

Titulo:
foto: 42

Titulo:
foto: 43

Titulo:
foto: 44

Titulo:
foto: 45

Titulo:
foto: 46

Titulo:Alunos do Colégio Misericórdia transportados por Zelito Turismo.
foto: 47

Titulo:Antiório com Ulysses Guimarães e o ex deputado Reginaldo Valadão.
foto: 48

Titulo:
foto: 49

Titulo:Piquenique com Fortunato, Mirinha e Rosangela Antiório, João, Lourdes e Marcia Oliveira, Ignez Collino
foto: 50

Titulo:
foto: 51

Titulo:Carnaval A.A.Floresta década de 70
foto: 52

Titulo:Carnaval A.A.Floresta década de 70
foto: 53

Titulo:Carnaval A.A.Floresta década de 70
foto: 54

Titulo:Carnaval A.A.Floresta década de 70
foto: 55

Titulo:José Antônio Figueiredo Antiório no debate entre presidentes de partidos na Câmara Municipal de Osasco
Ano: 1985
foto: 56

Titulo:1985 - Debate na Camara Municipal de Osasco com Mota, Antiório, Ibrahim, Chiquinho mediados pelo Tonca
Ano: 1985
foto: 57

Titulo:Comitê político
foto: 58

Titulo:Comitê político
foto: 59

Titulo: Quando foi instituido o Conselho Popular
Ano: 1979 ou 1980
foto: 60

Titulo: Breve fotos

Titulo: Breve fotos

Titulo: Breve fotos

Titulo: Breve fotos



CONHEÇA TAMBÉM:

FAMÍLIA AGU  |  FAMÍLIA ANTIÓRIO  |  FAMÍLIA AUADA  |  FAMÍLIA ANTONIO MENCK  |  FAMÍLIA AMADO LEITE  |  FAMÍLIA BATTISTON  |  FAMÍLIA BECHARA  |  FAMÍLIA BENEDITO ALVES TURIBIO  |  FAMÍLIA CARREIRA  |  FAMÍLIA COUTINHO  |  FAMÍLIA EVARISTE SENSAUD DE LAVAUD  |  FAMÍLIA FATIMA REGINA  |  FAMÍLIA FIORETTI  |  FAMÍLIA GAGLIARDI  |  JOSEFINA CARVALHO GAGLIARDI  |  FAMÍLIA JOÃO COLLINO  |  FAMÍLIA JOÃO CRUDO  |  JOSÉ ROSA  |  FAMÍLIA LEONARDO RODRIGUES NOGUEIRA FILHO  |  FAMÍLIA MONSENHOR CAMILO  |  FAMÍLIA NATHANAEL TITO SALMON  |  FAMÍLIA REINALDO OLIVEIRA  |  FAMÍLIA PAVÃO  |  FAMÍLIA PE. VICENTE MELILLO  |  FAMÍLIA ROVAI  |  FAMÍLIA SAKATAUSKAS  |  FAMÍLIA SINDONA  |  FAMÍLIA STURLINI  |  FAMÍLIA VIVIANI  |  FAMÍLIA WALTER RAMOS





Ir para o topo




Qualquer imagem ou foto locada neste site que apresentar, direitos de outro detentor, basta entrar em contato com (hagopK@uol.com.br) comprovar a reserva de direito, que a mesma será imediatamente removida deste site.

Webmaster:Hagop Koulkdjian Neto.